0
0
0
s2sdefault

Apontado como um dos mais eficientes destinos finais de resíduos sólidos do país, o Aterro Sanitário Metropolitano Centro, de propriedade da Prefeitura Municipal de Salvador e administrado, por concessão, pela Empresa de Transferência e Tratamento de Resíduos – BATTRE, desde o ano 2000, quando foi criado, tem obtido resultados cada vez melhores ao longo dos anos. Atualmente, o Aterro recebe 3 mil toneladas de resíduos sólidos de Salvador, Lauro de Freitas e Simões Filho e sua Usina Termoelétrica, inaugurada em 2011 – a primeira usina de biogás a funcionar na região Nordeste – produz 13 mil MW de energia por mês, a partir do lixo orgânico, o suficiente para gerar energia elétrica para uma cidade de 40 mil habitantes.

O pioneirismo do projeto, - apenas Rio de Janeiro e São Paulo, além de Salvador, possuem um sistema tão avançado -, a observância de rigorosos critérios de engenharia que garantem a preservação do meio ambiente e os excelentes resultados financeiros com a geração de energia elétrica despertaram o interesse das agências Reguladoras e Fiscalizadoras de Serviços Públicos de vários estados.

Nesse sentido, Henrique Trindade, presidente da ARSAL – Agência Reguladora e Fiscalizadora dos Serviços Públicos de Salvador tem prestado informações para seus pares sobre o Aterro Metropolitano, as ações da Prefeitura e da BATTRE. O tema será tratado, com destaque, na XX Reunião da Câmara Técnica de Saneamento Básico da Associação Brasileira de Agências de Regulação – ABAR, a ser realizado em Campinas, São Paulo, nos dias 18 e 19 de junho.

A Termoverde, do Aterro Metropolitano de Salvador, tem potência instalada de 19,7 MW e está em condições de produzir energia elétrica suficiente para atender uma população de 60 mil famílias. O empreendimento também proporciona a geração de Credito de Carbono através do Projeto de MDL da BATTRE protocolado na Organização das Nações Unidas - ONU em 2004.

0
0
0
s2sdefault